Potestade é uma crônica de RPG inspirada no seriado de TV Supernatural, utilizando o sistema de regras Storytelling, do Novo Mundo das Trevas. Com alguma licença poética, este jogo traz todo o clima divertido e emocionante do show, onde alguns caçadores viajam pelos Estados Unidos investigando casos sobrenaturais e salvando pessoas de monstros, fantasmas e demônios, separados ou se encontrando.

segunda-feira, 29 de abril de 2013

Curiosidades sobre os caçadores - Leena e Nick

Terminando o registro das curiosidades que pedi para os jogadores escreverem sobre seus personagens. Semana passada publiquei os de Jeff e May, e agora trago o de Leena (escritas pela jogadora Bianca) e Nick (é "meu personagem", um NPC que o pessoal "adotou" como parte da trupe, e casou com May).



Leena
Filmes e estilos de filmes: os filmes de terror/horror/suspense viraram seus favoritos desde que os descobriu, o que enlouqueceu sua mãe, pois vivia tentando fazer as irmãs assistirem também – principalmente a mais nova –, e foi assim que ganhou o status de “eterna colega de quarto” de Kathy (sua mãe a obrigou a pagar pelas consequências de assustar a irmã). Seus favoritos: The Shinning (1980, assistiu em 1993), Poltergeist (1982, assistiu em 1993), A Nightmare On Elm Street (1984, assistiu em 1994), Tesis (1996, assistiu em 1996) e, claro, The Exorcist (1973, assistiu em 1994). Não admitiria nem sob tortura, mas chorou com Stand By Me (1986, assistiu em 1991) e The Green Mile (1999, assistiu na estreia).

Programas de TV: quando criança, costumava assistir programas de auditório junto ao avô. Não por que gostava dos programas, mas porque achava engraçado o avô colocar a tv no último volume para tentar entender algo. Quando não estava se divertindo com “surdez” do avô (e a tv estava livre), ela e as irmãs gostavam de Inspector Gadget (1983 – 1986), Chip ‘n’ Dale Rescue Rangers (1989 – 1992) e The Care Bears (1985 – 1988). Adorava assistir os vídeo-cassetes antigos de El Pícaro (1974 – 1975) do pai, que dizia ser o melhor programa de comédia em sua língua natal. Também adorava The A-Team (1983 – 1987) e Family Ties (1982 – 1989) – mesmo que fosse muito nova para lembrar muita coisa desses seriados –, mas seu favorito era Full House (1987 – 1995) por fazer comparações constantes com a própria família. Entre os 13 e 14 anos, considerou pintar o cabelo de loiro depois de assistir Gentlemen Prefer Blondes (1953, assistiu em 1994) com a irmã mais velha, o que rendeu algumas piadas mais tarde e o irritante apelido de “Lee”.

Games e/ou esportes: Leena sempre foi instruída pelo pai e pelo avô a gostar de futebol, mas sua mãe queria que ela fizesse “esportes de menina”: ginástica e patinação artística. Claro que ela não aceitou nenhum dos dois, mas acabou fazendo alguns poucos anos de balé – assim como as irmãs –, senão a mãe surtaria. Nunca se interessou muito por esportes tipicamente norte-americanos como futebol americano, beisebol e basquete, e mesmo que tenha crescido com o futebol como hobby, prefere acompanhar apenas a Copa do Mundo ao invés de campeonatos menores.

Cantores e bandas: gosta basicamente de rock, com algumas músicas de grunge. Artistas: The Runaways (música preferida: I Love Playing With Fire), Creedence Clearwater (música preferida: I Put A Spell On You), Incubus (música preferida: Drive), Black Label Society (música preferida: Dirt On The Grave) e The Donnas (música preferida: Rock’N’Roll Machine). Nunca, jamais admitiria, mas escuta Shakira também.

Pratos e bebidas: acostumou-se com a tradição costa-riquenha de várias refeições ao dia – “má influência do pai”, como sua mãe costuma dizer –, mas sempre misturando com algum prato russo. Quando criança era obrigada pelo avô a tomar okroshka diariamente (uma sopa fria de vegetais), com a desculpa de que a sopa a faria forte (por isso não ficou muito fã de sopa quando cresceu). Gosta de casado, prato típico da Costa Rica e que o pai sempre faz questão de preparar, e de sobremesa prefere a pashka, um doce russo feito com ricota, baunilha e gelatina. Não tem nada contra a culinária americana, de fato, é capaz de comer de tudo um pouco, mas não acha a comida gringa muito saudável. Como bebida, seguiu a tradição do avô e acabou criando vínculo com a vodca (seu avô costumava beber um copo de vodca Russky (tanto a Standard quanto a Lyod) uma vez por semana, segundo ele, em memória de amigos perdidos na Segunda Guerra Mundial), mas vez ou outra gosta de tomar Jim Beam (bourbon) ou Campo Azul (tequila). Quando estes não estão disponíveis, fica nos mais simples, embora sempre peça uma boa vodca (seu avô jurou que a deserdaria se a visse tomando uma gebanyy deshevoy vodki). 

Cores: preto sempre foi sua cor. Kathy ainda tentou convencê-la que rosa fica bem nela, mas foi em vão. Com um pouco de influência de Melanie, aprendeu a gostar de roxo e vermelho, descobrindo nessa segunda cor uma paixão imensa depois de ir à formatura da irmã mais nova com um belo vestido vermelho tomara-que-caia que guarda com carinho bem no fundo do armário.

Estilos de vestuário: jaquetas justas de couro sempre estiveram no seu armário. Prefere calças de coated jeans, mas com lycra para não ficar muito incômodo e botas de cano curto, com um pouquinho de salto. Se pudesse, calçaria só botas com aspecto de borracha como as de motoqueiros, mas a Flórida nunca permitiu tamanho o calor. Em regiões mais quentes, prefere ficar na calça jeans normal. Não é muito fã de saias e só usa quando realmente necessário. Salto alto menos ainda, mas se necessário, faz o sacrifício. Sempre tem em mãos seu óculos escuro que imita o de aviador e algo para prender o cabelo.

Manias e/ou hábitos detestáveis: costumava roer as unhas, mas parou depois de tirar um “bife” e ter que fazer um curativo que durou uma semana no dedo. Tem a terrível mania de querer pegar o problema das pessoas que ama e resolvê-los sozinha (o que geralmente não dá muito certo, por isso ela está se reeducando). Se já ganhou confiança e carinho de alguém, tende a roubar a comida do prato da pessoa, mesmo que não tenha terminado a sua (Jeff bem sabe disso).

Traumas de infância: quando criança, brincando num daqueles balanços de pneu, ao tentar ficar em pé no mesmo, acabou perdendo o equilíbrio e caindo em uma poça de lama com uma rã enorme, que pulou em seu colo. No susto, Leena gritou e tentou tirar a rã o mais rápido possível, sem muito sucesso com o coitado do animal se atrapalhando. Desde então, declarou guerra a todas as rãs.

Hobbies: acima de qualquer coisa: mecânica. Consertar carros sempre foi uma terapia para ela. Escuta música talvez seja sua segunda terapia, mas nada supera o prazer de perder horas a fio consertando um carro. Quando aprendeu o básico da mecânica, sua mãe previu que futuro sua filha do meio poderia ter e mais uma vez amaldiçoou o marido por influenciar as meninas “com esses seus gostos de homem”.

Apelidos e afins: Dora (avô), Neena (Kathy, Melanie > quando criança não sabia pronunciar o “L” direito), Lee (só Jeff tem permissão para chama-la assim (vide: caso de quase virar loira acima)) e Nyy (mãe > resumo de vozlyublennyy que quer dizer “sweetheart” em russo).



Nick
Filmes e estilos de filmes: Nick prefere filmes antigos de faroeste, espionagem e alguns outros estilos, e entre seus prediletos estão 007 e o Satânico Dr. No, 007 Contra Goldfinger, Um Corpo que Cai, Sete Samurais, O Poderoso Chefão, Os Goonies, Rain Man, Rocky, Apocalypse Now, Os Imperdoáveis, Por um Punhado de Dólares, qualquer filme de Bruce Lee (especialmente A Fúria do Dragão), Os Aventureiros do Bairro Proibido e Pulp Fiction. Mas seu filme predileto de todos é Perdidos na Noite.

Programas de TV: gosta de particularmente três tipos de seriados: policiais (e militares), comédia (especialmente sitcom) e heróis mais espertos dos anos 80. Entre os seus prediletos estão Flash Gordon (1979-1982), Police Story (1973-1978, e ele adora Vic Morrow), Gunsmoke (1952-1961, sempre assistia reprises com o pai), Texas Ranger (1993-2001, com Chuck Norris, e seu spin-off Sons of Thunder (1998-2001), e ele gosta muito do personagem Trent Malloy), MacGyver (1985-1992), Seinfeld (1989-1998), Knight Rider (1982-1986), Magnum, P.I. (1980-1988), e Airwolf (1984-1987). Ele não conta a ninguém, mas é um fã de Battlestar Galactica (1978-1979 e 2004-2009), segredo que seu pai também guarda a sete chaves.

Games e/ou esportes: quando era moleque, Nick era fã de puzzle games e jogos estilo Enduro, River Raid, OutRun, Tron, Tank Battalion e Contra. Depois da adolescência, virou garoto popular de escola e largou a nerdice, tornando-se um ótimo jogador de futebol americano (foi um grande quarterback no Odessa High School Bulldogs). Na tradição dos Samson, qualquer outro esporte é coisa de bicha (nota do narrador: como eu disse antes, os Samson são assim, ligeiramente conservadores :P).

Cantores e bandas: obviamente os estilos favoritos de música de Nick são jazz, blues, soul e blues rock. É fã de Miles Davis, John Coltrane, Ella Fitzgerald, Willie Dixon e Dizzy Gillespie. Tem gostado do som de novos talentos como Amy Winehouse e The Black Keys. Suas melhores de rock são Alman Brothers Band, Fleetwood Mac, Jimi Hendrix e Creedence. Seu álbum predileto de jazz é Blue Train, de John Coltrane, e sua banda de rock predileta é Led Zeppelin.

Pratos e bebidas: Nick adora comida mexicana, como tradição da família (Nancy cozinha muito bem, e os Samsons possuem uma boa amizade com uma família mexicana, os Ibañez). Ele é alucinado por tacos, e prefere comida com muita pimenta - quanto mais, melhor. Também adora carnitas (tortilhas com porco), enchiladas, almôndega de salsa, salada grega, e tortas. Sempre que pode, ele come comida de estádio, especialmente espetinhos de frango empanado. Gosta de tofu (o que rende altas piadas de Jeff).

Não é o maior fã de bebidas alcoólicas, sempre preferindo Coca-Cola e chá a cerveja. Quando bebe algo, precisa ser forte, como tequila, absinto e o que ele gosta bastante, mezcal (destilado de agave mexicano). Não tem nada contra cigarros - já fumou, mas quando seu tio Barnaby morreu de câncer de pulmão, parou.

Cores e estilos de vestuário: prefere tons pasteis de vermelho e azul, usando muito azul escuro acinzentado e quase preto. Tem um monte de camisas de botão xadrez escuras, e gosta de calças jeans escuras e surradas (May pega muito no seu pé para comprar calças novas, já que as suas às vezes são tão usadas que rasgam na base). Usa um relógio de bolso dado pelo avô no aniversário de 18 anos (última lembrança do velho, logo depois ele morreu em um acidente de carro), e um isqueiro com um pentagrama riscado, que ele nunca diz porque ainda guarda o objeto mesmo tendo parado de fumar. Usa um Hamsá (amuleto de proteção) ganho por uma senhora no Afeganistão, um amuleto de pentagrama e um anel com uma estrela de Davi dado por um rabino, em uma caçada. Por fim, usa o relógio que May lhe deu e a aliança de casamento.

Manias e/ou hábitos detestáveis: estrala os dedos o tempo todo. Chama o pai de Bill, Velho Ray ou W. Acorda sozinho três vezes por noite e precisa beber água e tocar na Hamsá. Acorda um minuto antes do despertador (4h59), mesmo que volte a dormir (embora raramente consiga). Não pisa em divisas de calçadas ou meio-fio. Dirige com uma mão só. Conta as letras e sempre sabe dizer se uma frase é par ou ímpar. Nunca fica embaixo do último pingo do chuveiro.

Traumas de infância: quando era pequeno, caiu em um poço desativado repleto de aranhas. Sobreviveu porque o pai estava passando com o carro na área e viu Jeff gritando, e na época dirigia um Jeep com corda e roldana motorizada. Tomou algumas picadas - não foi muito grave, mas serviu para deixá-lo com um medo irracional de aranhas.

Hobbies: além de adorar futebol americano, é um saxofonista de talento (embora não tanto para deixá-lo famoso), e gosta muito de tocar e batucar. Gosta de livros de bolso de faroeste e guarda boas memórias de campeonatos de arroto com Jeff.

Apelidos e afins: seu apelido de infância é NickNick, por conta do canal de TV predileto até os seis anos de idade. Na escola, era Muffin (para as meninas). O avô chamava de Munchnick (Munchkin (garotinho) + Nick), e o treinador chamava de Sparkles (brilhante, algo assim). As garotas da cidade chamam de Sparky (uma corruptela que significa gatão, sexy, etc). Jessica trouxe o Sparky para casa e o chamava de Spick para irritá-lo, e Jeff nunca deixou de encher seu saco com o NickNick.

6 comentários:

  1. Toda vez que leio que Nick curte FLASH GORDON só me lembro do filme TED. xD

    ResponderExcluir
  2. Nick não usa o relógio que May deu? =/

    Nem a aliança de casamento? =(

    ResponderExcluir
  3. Que foto gay é essa de Nick doido kkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredite, é uma merda achar foto desse ator =/

      Excluir